Cães que fazem o bem

Cães que fazem o bem

Para apresentar o trabalho realizado pela ONG Terapia Cão Carinho, entrevistamos, abaixo, Rita de Cacia Gonçalves da Silva, presidente do TCC – Terapia Cão Carinho. O principal objetivo do grupo é levar alegria aos assistidos utilizando o maior bem, os cães. A Atividade AAA – Atividades Assistidas por Animais – pode ser desenvolvida em qualquer ambiente, desde que supervisionado por profissionais ou voluntários especialmente treinados, em associação com animais que atendam a um critério específico. Para a atividade, não é necessário um terapeuta, ou seja, pode-se levar um cão em uma creche, asilo ou instituição de saúde. Confira, abaixo, a entrevista.

1 – Como funciona o trabalho da Terapia Cão Carinho?

R. A Terapia Cão Carinho é uma associação sem fins lucrativos que promove atividades em terapias alternativas, conhecidas como Interação Assistida por Animais, tais como: Educação Assistida por Animais, Terapia Assistida por Animais e Atividades Assistidas por Animais. No caso do Terapia Cão Carinho, devido a inúmeros motivos, utilizamos apenas cães e exercemos apenas a modalidade Atividade Assistida por Animais. Somos um grupo de pessoas unidas por um objetivo em comum: levar alegria aos assistidos utilizando o nosso maior bem, nossos cães. Hoje, levamos nossos cães, selecionados e treinados para as seguintes instituições fixas: Hospital do Mandaqui (ala pediátrica); Casa Yassuragui (instituição para pessoas com problemas psiquiátricos); Akebono (asilo japonês) e uma vez ao mês escolhemos uma instituição que nos procura via site e fazemos uma visita extra. Em todos estes ambientes atuamos como voluntários, fazendo atividades com a finalidade de melhorar a qualidade de vida do assistido, através do contato com o cão.

 

2 – O que é a atividade AAA – Atividade Assistida por Animais?

R. A AAA baseia-se em um trabalho que parte da visitação, com o objetivo de promover bem-estar através das atividades com os animais, no nosso caso com os cães. Pode ser desenvolvida em qualquer ambiente, desde que supervisionado por profissionais ou voluntários especialmente treinados, em associação com animais que atendam a um critério específico. Para a atividade, não é necessário um terapeuta, ou seja, pode-se levar um cão em uma creche, asilo ou instituição de saúde com alguma programação pré-estabelecida. Não é uma atividade voltada para uma pessoa determinada e não se faz registros exatos das visitas.

 

 

3 – Quais são os benefícios da atividade AAA?

R. Melhora a auto-estima, a autoconfiança e o controle das emoções. Potencializa o sentimento de normalidade e melhora a autodisciplina e a capacidade de atenção, além de trabalhar a memória. Atua na área de comunicação e linguagem e ajuda a comunicação gestual e oral. Aumenta o vocabulário, a construção de frases corretas, e a articulação de palavras.

Ajuda na área de socialização, a relacionar-se com pessoas que pertencem a diferentes entornos. Cria relações de amizade com os companheiros, desenvolve o respeito e amor aos animais e aumentar o número de vivências. Já na área psicomotora, melhora o equilíbrio, o fortalecimento da musculatura, a coordenação, os reflexos, e a planificação motora.

Publicidade

 

4 – Além da AAA, existem as atividades EAA e TAA. Como funcionam e quais os benefícios para os indivíduos ou grupos?

R. A TAA – Terapia Assistida por Animais – é um trabalho multidisciplinar e permeado pela medição científica de resultados. Para cada indivíduo são formulados objetivos precisos a serem alcançados e o processo deve ser documentado e posteriormente avaliado. O trabalho multidisciplinar exige uma equipe formada por médicos, psicólogos, pedagogos, instrutores, terapeutas especializados, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, treinadores de animais e veterinários.

EAA – Educação Assistida por Animais – as atividades práticas com os animais proporcionam, além do simples contato com o animal, que por si só já é terapêutico, a diversificação da linguagem, o equilíbrio, a coordenação, a estimulação do tônus muscular, o controle da postura, da respiração e da circulação sanguínea. Pode-se trabalhar com probabilidades de êxito várias patologias, tais como transtornos emocionais, de escuta e aprendizagem, depressão, ansiedade e todas as consequências que se derivam dela, toxicomanias, autismo, paralisia cerebral, Síndrome de Down, paralisias traumáticas, doenças degenerativas neurológicas, acidentes cérebro- vasculares e traumas cerebrais.

 

5 – Os cachorros que realizam os trabalhos de terapia devem ter uma preparação? Como funciona?

R. Os nossos cães terapeutas passam obrigatoriamente pela avaliação de profissionais da área da veterinária e da psicologia comportamental. Atendem todos os requisitos de saúde animal e são reavaliados mensalmente, passando por testes comportamentais, de obediência, socialização e aptidão para o trabalho. Os machos devem ser castrados e não aceitamos no projeto cães que tenham na sua linhagem um perfil agressivo. Os cães não passam por uma preparação e sim participam de aulas de socialização mensal, onde a adestradora está em constante avaliação do cão e ensina aos tutores e aos cães atividades que podem ser realizadas durante as visitas. O TCC preza demais a segurança e a qualidade nas visitas. A nossa maior responsabilidade é a segurança e conforto do cão.

 

6 – Quais são os pré-requisitos para um cachorro realizar essas terapias?

R. O cão deve ter no mínimo um ano e o cão candidato a ser cão terapeuta deve ter as seguintes características: ser amigável sem excessos, equilibrado, gostar de pessoas, procurar pessoas e atender a comandos.

 

Gostou das dicas? Quer conhecer mais sobre o mundo animal? Continue nos acompanhando aqui e nas redes sociais do e-animals.

Compartilhe:
10 de setembro de 2019 / por / em ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *