Como ter uma calopsita livre e feliz

Como ter uma calopsita livre e feliz

Da família dos psitacídeos, a mesma dos papagaios, araras e cacatuas, a calopsita é bastante independente e prefere viver solta, a ser criada em gaiolas, assim, é mais indicada para quem mora em apartamentos, por ser um local mais fechado e com menores riscos de fuga.

Para cria-la solta, é necessário levá-la ao veterinário para efetuar o corte das asas. Essa é a melhor opção já que a calopsita é barulhenta e precisa de espaço para que possa cantar, gritar e assobiar.

As calopsitas são pássaros muito ativos, brincalhões, inteligentes, companheiros e sentem a necessidade de interagir com seus donos, seguindo seus passos pela casa toda. Por isso, o indicado é que a ave viva junto de outra da mesma espécie para não se sentirem sozinhas.

É fundamental que recebam toda a atenção necessária ou, caso contrário, podem apresentar comportamento agressivo. A calopsita é conhecida pela capacidade de aprender truques, caso seja bem treinada.

 

Procriação

Não é recomendado impedir uma calopsita de procriar, pois ela sente necessidade de se relacionar sexualmente, apesar de, depois de mansa, essa necessidade diminuir.

Publicidade

O macho, quando sente necessidade de se relacionar sexualmente, pode se masturbar. O comportamento é normal e um indicativo que está na hora de cruzá-lo. E a fêmea, em alguns casos, pode até mesmo acabar botando ovos sem ter tido nenhuma relação ou companhia de um parceiro. Geralmente esses ovos não resultam em filhotes, assim, o ideal é que ela possua um companheiro para que não cobre atenção excessiva dos seus donos e não sofra automutilação.

Como a fêmea é quem escolhe o seu parceiro, é importante dar opções a ela e ter algumas calopsitas juntas, até que a eleição seja feita e depois disso, é mais importante ainda separá-las, para evitar brigas.

Entre os principais cuidados básicos, o que mais se destaca é a alimentação e a limpeza da gaiola, caso não seja criada solta. Horários de sono e cuidados específicos com a saúde podem variar bastante, precisando sempre de um acompanhamento médico.

 

Alimentação

As calopsitas vivem principalmente de sementes e rações específicas, que podem ser encontradas em pet shops ou lojas especializadas. As sementes não podem ser de apenas um tipo, sendo geralmente um mix de painço, em torno de 50%, e a outra metade por: alpiste, aveia, arroz e girassol. Verduras, legumes e frutas podem complementar o cardápio, mas é preciso ficar atento.

Opções como almeirão, cenoura ralada, rúcula, couve flor, jiló, couve e abobrinha devem ser dados crus, enquanto batata doce, milho verde e sementinhas de abóbora devem ser dados cozidos, sem nenhum tipo de tempero.

Frutas como mamão, maçã e melancia  também são boas pedidas para as calopsitas, assim como os ovos – desde que sejam sempre bem cozidos e amassados antes. Já os alimentos que não podem ser considerados na alimentação das aves são: alface, alimentos fermentados como bolos ou pães, agrião, leite e seus derivados.

Gostou das dicas? Então nos acompanhe nas redes sociais do e-animals. Até breve!

Compartilhe:
20 de outubro de 2017 / por / em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *