Meu cachorro morreu – o que fazer?

Meu cachorro morreu – o que fazer?

A morte do animal de estimação é um momento muito difícil e doloroso para muitas pessoas, afinal, atualmente, os pets são considerados membros da família. Assim é importante saber como proceder nesse momento complicado.

 

Uma das principais dúvidas nessa situação é o que fazer com o corpo do animal.

Alguns enterram no quintal, outros jogam no lixo. Mas o que é o certo? Existem duas opções: enviar para o Centro de Controle de Zoonose (CCZ) da Prefeitura para fazer uma incineração, cremação, coletiva ou contratar um crematório particular.

 

Se seu animal morreu em casa, você pode entrar em contato com uma clínica veterinária, onde os procedimentos serão adequados para manter a saúde pública. Se não for possível ir a uma clínica veterinária, entre em contato diretamente com o Centro de Zoonose da cidade. Esse é o departamento da Prefeitura responsável por recolher os bichinhos após sua partida e é gratuito. A cremação do seu peludo será feita junta com outros animais. Você não irá participar e não receberá as cinzas.

 

Nunca deixe o corpo em caçambas ou lixo comum. Também não é recomendável enterrar o corpo do animal no quintal de casa. Porque quando enterramos o animal, a decomposição do corpo libera chorume, que é um líquido escuro resultante da decomposição de corpos. Este líquido é rico em bactérias, salmonela e duas substâncias tóxicas: putrescina e cadaverina que contaminam o solo, lençol freático e poços artesianos. Além de ser prejudicial ao meio ambiente e à saúde pública.

Publicidade

 

Como os pets são cada vez mais membros da família, há serviços especializados em cremação e enterro dos peludos. Eles cuidam de tudo: velório, cremação, entrega da urna com as cinzas e até atendimento psicológico.

 

 

Ritual de despedida

 

Quem disse que não é permitido realizar um funeral para o seu cãozinho? Claro que é possível e justamente aceitável. Inclusive, isso pode ser uma alternativa para lhe ajudar a vivenciar todo o processo de luto.

Cientificamente, não há uma diferença entre os padrões de enfrentamento da morte de um animal para a de um ser humano. Contudo, é necessário esclarecer que cada pessoa pode reagir de maneira diferente nestas situações.

Por esse motivo, se você achar necessário fazer uma cerimônia de despedida, não hesite. Organize-se para que o ritual aconteça do seu jeito e que respeite a memória do seu pet.

 

O funeral é um ato ligado à separação causada pelo óbito e vai contribuir para a assimilação do fim de uma existência e o início de outra realidade. Hoje em dia, há serviços especializados que podem atender a sua necessidade. Realize uma pesquisa minuciosa e que leve em conta as suas expectativas.

 

Curtiu as dicas? Continue nos seguindo aqui e nas redes socias do e-animals.

 

Compartilhe:
28 de outubro de 2019 / por / em ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *