Os desafios da prova Três Tambores

Os desafios da prova Três Tambores

Para falar sobre como deve ser a preparação de um cavalo para participar da prova Três Tambores – tradicional prova de rodeios, festas de peão e feiras agropecuárias cujo objetivo é contornar três tambores em um percurso triangular no menor tempo possível -, entrevistamos, abaixo, a amazona e treinadora Bruna Tedesco Cortelini do CT Bruna Tedesco. Além de toda a preparação necessária para competir na modalidade, Bruna ressalta a importância de cavaleiro e cavalo terem uma relação de confiança, atenção e carinho, fundamental para o sucesso nas pistas. Confira.

 

1. Qualquer cavalo pode ser treinado para participar da prova Três Tambores? Existe alguma restrição de raça ou porte?

R: Qualquer cavalo pode participar da prova. Não há restrição em competições normais e abertas. Há somente em competições próprias de cada raça como a da ABQM – Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha. A prova Três Tambores é uma modalidade que exige habilidade e rapidez. Os cavalos mais aptos para o esporte são os das raças Appaloosa, Paint Horse e Quarto de Milha, sendo esse último o mais comum, já que o Quarto de Milha é considerado o cavalo mais versátil do mundo.

2. Quais são os requisitos para que um cavalo possa participar da prova Três Tambores?

R: O cavalo tem que ter boa saúde, aptidão, ser rápido e habilidoso e o que fizer o percurso em menor tempo, será o campeão.

3. Como é feito o treinamento de um cavalo que irá participar da prova Três Tambores? Há a parte física e de habilidade? Explique.

R: Há várias formas de tratamento e de treinamento. Os cavalos precisam ser tratados como atletas, portanto, além de massoterapia, dentista, ferrageamento, alimentação e suplementação de qualidade, os animais tem treino de preparo físico, para que tenham resistência e explosão e passeios fora da pista, por lugares diferentes para que o cavalo se exercite e não fique entediado. E há a parte de alongamento que é muito importante para que o cavalo faça as curvas em velocidade, além de treinar o percurso da prova Três Tambores para que eles decorem.

4. Quais são os cuidados que precisam ser tomados com a animal para que os exercícios não o sobrecarreguem e o machuquem?

R: A genética e a estrutura do animal ajudam, mas a prevenção e o preparo físico são pontos-chaves. Portanto, é importante trabalhar de forma crescente e gradativa e com o acompanhamento de um veterinário. Ter um dentista para que a embocadura do cavalo se ajuste e para que ele mastigue de forma correta, triturando e absorvendo melhor os alimentos. Fazer massoterapia para o alongamento e preparo da musculatura. Meus animais trabalham com alimentação balanceada, suplementação para cascos, ossos e músculos. Temos um programa de treinamento, área piqueteada para que eles possam interagir e um ferrageamento de qualidade para que os cascos não fiquem desbalanceados. É fundamental também usar equipamentos de qualidade – manta, sela, ligas e protetores -, que dão um suporte na hora de montar e embocaduras boas. Tudo para que o cavalo se sintam o mais natural e confortável possível. Todo esse suporte pode sair caro, mas ajuda o cavalo a ter uma longevidade maior do que os que nunca fizeram esporte algum. Lembrando sempre que eu treino meu cavalo uma hora por dia e nas outras 23 horas eu gosto que meu cavalo seja “cavalo”.

Publicidade

5. Qual a importância do amazona na condução do cavalo durante a prova Três Tambores?

R: O cavalo e cavaleiro trabalham em conjunto, portanto a sensibilidade de quem está montando e a capacidade de explorar o potencial de cada indivíduo é essencial. Um amazona que monta bem não chega a lugar nenhum se o seu cavalo não estiver bem preparado e vice-versa. Treinamento e humildade para saber ouvir e entender o animal é de suma importância.

6. É necessário que o amazona treine sempre com o mesmo cavalo e periodicamente para participar da prova? Qual o tempo ideal de treinamento?

R: Amazona e cavalo trabalham juntos e para terem sucesso, os dois precisam ser um só. Quando o cavalo pensa, o amazona age e vice-versa. E isso só é possível se houver o famoso “conjunto”. Treinamento é importante, mas o manejo, o dia a dia com o animal é o que ajuda a ter bons resultados. Saber entender o seu cavalo, antecipar os seus passos são fundamentais para o sucesso. Hoje em dia é muito fácil competir, mas fazer a diferença e ser parte dos melhores exige dedicação.

7. Quais são os principais cuidados que o amazona precisa ter para não estressar o cavalo antes da competição?

R: Tudo vem de casa. A boa relação com o seu animal vai além da prova. Se o cavalo se sente à vontade com o treinamento, se sente seguro com o seu companheiro, tudo fica mais fácil e prazeroso. Eu gosto de estimular meus cavalos, tento sempre mudar meus treinamentos para gerar interesse e quando entro na pista, os sinto com vontade de correr. Eles amam o que fazem. Juntos nos divertimos. Acredito que a vitória é consequência de um trabalho bem feito. E mais do que ganhar dos outros, o importante é se divertir e se superar a cada competição.

 

Curtiu as informações sobre a prova Três Tambores? Sempre temos novidades por aqui. Continue nos acompanhando e siga as redes sociais do e-animals!

Compartilhe:
23 de agosto de 2018 / por / em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *